Trechos das “Cartas” de Junaid

Home Ditados Trechos das “Cartas” de Junaid

A gnosis tem um grau inicial e um grau supremo, onde se situa a elite espiritual.

Para aqueles que possuem gnosis, seu objeto é infinito.

Como a gnosis poderia englobar Aquele o qual o pensamento não alcança, a razão não identifica, que o espírito não imagina e cuja maneira de ser escapa à reflexão!

A mais sábia das criaturas em relação a esse assunto, é aquela que reconhece com a maior das forças sua incapacidade de apreender Sua grandeza.

Ele é eterno, e tudo o que é outro senão Ele é produzido no tempo.

Ele preexiste, e tudo o que é outro senão Ele tem um começo.

Ele é a Divindade, e tudo o que é outro senão Ele é objeto dessa Divindade.

Ele é Aquele que é sábio, sem que ninguém o tenha instruído e sem que Ele obtenha informações de outro que não seja Ele, enquanto todos os outros seres sábios não o são graças à Sua Ciência.

Glória a Ele, que é o Primeiro sem começo e que é o Perpétuo sem fim!

A elite espiritual dos santos situa-se no grau mais elevado da gnosis.

Quanto aos crentes comuns, eles se situam no grau inicial da gnosis, e os sábios (ou os gnósticos = al-ârifûn) lhes proporcionam testemunho sobre esses dois graus da gnosis, o inferior e o superior.

Seu testemunho, no que diz respeito ao nível inferior, consiste na proclamação da Sua unicidade, na negação radical da existência de seres semelhantes a Ele.

Seu testemunho, no que diz respeito ao nível mais elevado da gnosis, consiste em realizar seus deveres para com Ele, dar-lhe preferência sobre todas as Suas criaturas, praticar as virtudes mais nobres e abster-se de tudo o que não aproxima Dele.

A gnosis com a qual a elite espiritual supera o comum dos crentes é o sentimento intenso, provado pelo coração, da infinitude de Sua grandeza e de Sua majestade, de Seu poder agente e da Sua ciência que engloba tudo, de Sua generosidade transbordante e de Seus favores.

Existem 3 tipos de homens: aqueles que partem para a busca e que seguem seu caminho; aqueles que chegam e param e aqueles que entram e que repousam.

Aquele que parte em busca de Deus se dirigem a Ele deixando-se guiar pelas indicações do ensinamento literalista e legalista. Seu comportamento em relação a Deus é estritamente exterior.

Aquele que chega à porta e pára é aquele que é consciente dos caminhos que aproximam Dele, graças às indicações que lhe proporciona a purificação de seu ser interior e graças aos dons das preciosas instruções das quais ele está pleno. Seu comportamento em relação a Deus é interior.

Aquele que entra (diante Dele) com todo o seu coração e que se afastou da consideração de tudo o que é outro senão Ele, não tendo olhos senão para o que Ele lhe mostra, executando com presteza o seu Mestre lhe ordena, é aquele que “realiza” a gnosis da Unidade de Deus.

A ciência do tasawwuf é aquela que só a conhece o homem dotado de intuição e familizarizado com a Verdade. Não a conhece aquele que não tem o testemunho interior.

O sufismo está baseado em 8 virtudes que lhe são próprias: generosidade da alma, aceitação do destino, paciência, discrição na fala, exílio voluntário, uso da lã, peregrinação e pobreza.

A renúncia é considerar esse mundo inferior pouca coisa e apagar todo traço seu no coração. A pobreza espiritual — é o coração vazio de formas.

A última estação do sábio (ou do gnóstico) é a liberdade.

Sentenças de Bistami

  (Trechos de 'Uma luz que cativa', com ênfase em "fana" - a extinção do eu)   * Allah me inspirou o completo esquecimento de meu eu. * Tenho amado a Allah e rejeitado meu eu. * Abandonei o eu e fui sozinho até Allah. * Aquele em quem o eu triunfa, estará entre os...

Notas de Louis Massignon sobre Hallaj

Passagens do texto “Vida de Hallaj”, publicado em 1962 na reedição da obra ”La Pasión de Husain ibn Mansur Hallaj”, de 1922 Hallaj foi condenado a morte em Bagdá no ano 922. E permaneceu como um herói lendário. A ampla difusão dos grandes poemas persas formam...

Fragmentos de Farid Attar

Trechos do cap. 13 da obra “O Livro dos segredos” Na busca toda uma vida passou Neste mar naveguei muito... Todos já foram guias ou seguidores Ninguém conhece o segredo divino Cativos somos... Conhece a Ciência dos Mistérios aquele que conhece os Mistérios E por essa...

O Caminho do Peregrino em Nejmedin Kubra

Fragmentos dos cap. 1-3 do livro “Fawatih al-jamal wa-fawatih al-jalal” / Manifestações da Beleza e Aromas da Majestade Deverás saber que Allah é o objeto de qualquer aspiração, e que o aspirante é uma luz que provém Dele. Cada ser humano tem um Espírito que procede...

Al-Wird

صلاة شجرة الاكوان المسماة بالوظيفة للشيخ محمد المدني القصيبي المديوني Em árabe clássico, o termo “wird” significa a chegada à água para beber. Ele designa também o bebedor e a quantidade de água que sacia a sede do peregrino. Por extensão semântica, esse termo...

Máximas do Sheikh Muhammad al-Madani

Hikam [máximas] é o plural irregular de hikma [[O termo hikma é corânico: Corão: II, v. 123/129, v.146, v.151; III, v.75/81 ; IV, v. 54/57 ; LIV, v.5 ; XLII, v. 63 ; XXXIII, v. 34 ; XXXVIII, v. 19, v. 20, etc. No pensamento árabe especulativo dos séculos IV a X, hikma...